Início » Cinema » Eu vi O Natimorto

Eu vi O Natimorto

Na sexta-feira passada o filme Natimorto estreou no Rio. Eu estou aguardando o lançamento desse filme desde que o próprio Muterelli(autor) me falou dele na Rio Comicon do ano passado onde tive o prazer de conhecê-lo e ter meus Cheiro do Ralo, tanto livro como filme, e a HQ Caixa de Areia autografados. Vi sua data de lançamento ser alterada e atrasada várias vezes a ponto de ter tempo suficiente de comprar o livro homônimo e lê-lo em 1 dia, de tão bom que é! Eu sempre repudiei suas HQs por achar o traço feio, mas depois do Cheiro do Ralo, mudei completamente meu ponto de vista sobre o seu trabalho e me tornei um fã.

Bom, toda essa introdução foi pra explicar o quanto eu esperava para ver esse filme, O Natimorto. Então, quando no Twitter me avisaram da data, fiquei a espera. Na sexta de manhã comprei meu ingresso pela internet para garantir meu lugar no cinema, imaginando que, assim como eu, muita gente tivesse louca para vê-lo. Quanta megalomania, a sessão não tinha 10 pessoas. Isso nunca interferiu de forma negativa para mim, pelo contrário. E devo dizer que dessas 9 pessoas, pelo menos uns 3 não viram o filme até o final. Esses velhos de botafogo que entram no cinema pra ver qualquer porra!

Como eu disse, nada disso interferiria no meu julgamento sobre o filme. Já conhecia a história e o autor bem o bastante para não ser surpreendido. Mas infelizmente aquelas pessoas estavam certas, o filme era ruim, a história foi mal contada, o ritmo não tinha pegada, a atuação do Mutarelli era canastra, mas isso eu já esperava, dava pra notar desde o trailer. A voz(Simone Spoladore), embora muito BOA atriz tava muito marcada, não rolou a magia do cinema de entrar na história e acreditar naquelas pessoas. Mentiam para mim o tempo inteiro. É claro que teve cenas boas, como quando o Mutarelli discursa sobre a vaidade dos banguelas e quando o maestro promete levar a voz para o sítio “Ele vai te comer no matinho!” Hilário. Mas não o bastante. A cena da mulher do agente devia ser maravilhosa, pois a atriz (Betty Gofman) mandou muito bem, mas foi tão retalhada que se perdeu. E o final, que no livro era incrível, no filme é incompreensível.

Para os puritanos de adaptação de livro para cinema, não teriam o que criticar do texto, e eu como fã do livro poderia ser um deles, mas vi que o texto do livro, no filme não funcionava. Merecia adaptações. Palavras pouco naturais, o roteirista deve ter ficado com medo de mudar alguma coisa, mas a culpa sempre é do diretor, Paulo Machline . Um estreante que se arriscou num filme difícil, barato, mas difícil. Isso demonstra culhão, embora não tenha sido bem sucedido. Mas é por aí. Melhor que ficar fazendo filminho com historinhas idiotas e batidas.

Assista ao trailer:

O Natimorto

Cinema

2 Comments to “Eu vi O Natimorto”

  1. Desse jeito acho que não podemos esperar um DVD, né?

  2. Cara, eu até pretendo ter o DVD, como fã do Mutarelli e para ver o filme em pedaços. Mas ele precisa estar muito barato.

Leave a Reply

(obrigatório)

(obrigatório)